quinta-feira, 27 de julho de 2017

O simples é sempre muito usual

Quando eu digo que esse blog não tem um roteiro de posts pré determinado é exatamente pelo fato de aparecerem totalmente de repente conteúdos como o do post de hoje. A ideia para essa quinta feira aqui no blog era outra, mas ao ter a oportunidade (quase perdida) de tirar essas fotos, não tinha dúvidas do que seria postado aqui hoje.  Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Algo muito bacana que existe na vida de todo entusiasta por alguma coisa é o fato de que todas as vezes que ele vê algo que o agrada sempre tem alguma ideia bacana e quer mostrá-la de alguma forma para todos aqueles que compartilham da mesma paixão. Pois bem, a história que nos leva até as fotos que integram o post de hoje é bem curta e diria eu até que bastante comum entre pessoas que fotografam carros nas ruas.
Neste final de tarde de quinta feira, mais precisamente as 17:11 eu estava fazendo uma caminhada pelas ciclovias e praças próximas de casa. De alguns dias para cá, eu estou tentando adquirir o hábito da caminhada aos finais de tarde. Ainda no início do trajeto e já andando "no pique", um carro me chamou a atenção já de longe na última vaga do quarteirão. Para variar, era um Fusquinha. Vendo que o carro poderia dar um post bacana, peguei o celular e tirei as fotos rapidamente para não perder o ritmo. Eu até pensei em fotografar o carro na volta, mas preferi prevenir-me tirando as fotos na ida. Bem que fiz, na volta ele já não estava mais lá.
As fotos que você vê ao final do post foram tiradas por mim agora no final da tarde, como disse no parágrafo anterior. Elas mostram um simpático Fusca 1975 (ano de acordo com as placas e também pelo que evidencia a aparência do carrinho) que estava parado próximo de casa. Como há um Hospital há metros de onde ele foi estacionado, creio eu que seu proprietário estivesse lá. Olhando o carro de maneira bem breve, vê-se pelo ano de fabricação que é um dos primeiros Fuscas 1300 Standard (esses que tem as lanternas menores e que são conhecidos como "canelinha seca" nos anos anteriores) que recebeu as rodas de quatro furos, já utilizadas pelo Fuscão 1500 desde 1970. A pintura vermelha tem várias marcas do tempo e alguns acessórios como o retrovisor preto de plástico mostram que esse simpático carrinho está no grupo onde se enquadra a grande maioria dos Fuscas: Carros de uso diário sem muita preocupação com a originalidade, mantendo-se apenas a manutenção para que ele siga rodando. Por mais que a gente geralmente curta os Fusquinhas 100% bem cuidados, a grande realidade é que muitas vezes os proprietários desses carros como o do post de hoje tem muito mais convivência com um Fusca e curtem muito mais o carro, ainda que por um motivo de necessidade.
Este Fusca em especial, pela época, estado geral (que não está ruim, principalmente olhando pessoalmente) e modelo com as lanternas menores, me lembrou muito o Fusca Ocre do post "Uma prova de fidelidade". Aliás, hoje eu o vi novamente na rua e observei novos detalhes no carrinho, mas isso é assunto para outro post.
Veja:








2 comentários:

  1. Eu sou suspeito para falar desse modelo e ano de Fusca... : D : D : D : D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade...hehehe
      E foi uma época de ouro na produção dos Fuscas.

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!