terça-feira, 23 de agosto de 2016

Entenda o funcionamento do motor e transmissão do Fusca

Quando falamos de assuntos relacionados a automóveis, principalmente quando o foco do papo e manutenção, sempre nos vem a cabeça quando algum componente mecânico é tratado a forma de seu funcionamento. Se esse assunto estiver sendo mostrado por meio de um vídeo, geralmente é mostrada alguma animação em 3D. Porém, ver o funcionamento físico, como será mostrado hoje por aqui, fica muito mais claro e nos dá as devidas e verídicas proporções e impressões do projeto.
Há algum tempo atrás eu me deparei com esse fantástico vídeo que aparece no final desse post por meio do Facebook. Porém, eu só o achei hospedado no Facebook, me impossibilitando de compartilhar com vocês por aqui. Naquela época, eu tentei contatar os produtores do vídeo para ver se achava alguma forma mais fácil de trazer aqui para vocês, mas sem sucesso. Durante esses últimos dias, deparei-me com esse vídeo novamente, agora sendo postado por seu proprietário, o que facilitou o contato e que permitiu que este post seja descrito hoje.
Este vídeo maravilhoso de hoje foi um projeto (Um TCC, para ser mais exato) desenvolvido no SENAI de Bauru no curso de Manutenção Automotiva (que era a minha segunda opção se não tivesse ingressado em um curso superior na mesma área). Esse trabalho foi desenvolvido pelo Carlos (que me cedeu o vídeo para postar aqui, desde já meu muito obrigado), pelo Anderson, pelo Donizete, pelo Lucas, pelo Gilberto e pelo Ronaldo. Esse conjunto foi capaz de nos presentear com essa aula pra lá de didática.
O vídeo abaixo mostra um motor e uma transmissão de Fusca (Ou de qualquer outro VW a ar) "em corte", ou seja: É como se a peça a ser mostrada fosse cortada ao meio de modo que seja mostrada a sua área interna, neste caso, o seu funcionamento. No vídeo aparece o funcionamento da bomba de óleo, da carburação, dos balancins, da caixa de câmbio e diversos outros detalhes.
Esse material é mais uma prova viva de que um curso técnico se bem aproveitado é capaz de formar excelentes profissionais. Eu mesmo fiz um curso técnico na área de Mecânica que me agregou um bom conhecimento também.
Assistam com atenção e entendam de uma forma muito clara todo o funcionamento "interno" de um Fusquinha!


 

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Padrão de originalidade: Rodas do Fusca

Muitas vezes ao conversar com algum proprietário de carro antigo a gente ouve o cara falar "Pretendo deixar esse carro todo original, quero colocar uma placa preta" ou algo do gênero. No entanto, muitas vezes a pessoa tem esse objetivo mas acaba se perdendo em meio à tantas informações que temos hoje no antigomobilismo. O post de hoje é especialmente para você, que acaba tendo esse tipo de dúvida na hora que está caracterizando seu clássico de modo que ele fique o mais parecido possível com o visual de fábrica.
O post de hoje é mais uma pequena parte do excelente material que o Bruno Big Bat (Ou Farcas Pancho) mandou para mim há alguns meses. Além da imagem de hoje, no marcador do blog "Padrões de originalidade", há outras partes desse material, alguns carros absurdamente originais e outras informações bastante válidas também, vale conferir.
O ponto a ser tratado desse tema hoje são as rodas do Fusca. Ao longo dos anos, a VW fez diversas alterações nas rodas e nas calotas dos Fusquinhas. Se você está buscando saber qual é a roda que saiu originalmente nesse Fusca, você facilmente terá a sua pergunta respondida por meio desse material. Nele são listadas as calotas que foram usadas (Os famosos "copinhos, as calotas do Fuscão, etc etc) e as diferenças entre as rodas que os Fuscas usaram. Vale ressaltar que tivemos duas furações de rodas para o Fusca no Brasil, primeiro a 5 x 205, do Fusca mais antigo, com rodas de cinco furos e a 4 x 130, presente nos modelos mais novos e que contém todas de quatro furos.
É claro que hoje no mercado nós temos diversas opções de rodas para se montar em um VW a ar, sejam as réplicas das originais fabricadas pela Rodabrás, sejam as rodas de época (principalmente as esportivas) dos anos 60, 70 e 80 e também essas lindas rodas de liga que são importadas para o Brasil, geralmente fabricadas pela EMPI.
Embora o material seja voltado especialmente para o Fusca, algumas informações da descrição do post e até mesmo do contexto do material podem ser levadas em conta caso o seu objetivo de originalidade esteja em algum outro VW a ar. Algumas outras rodas antigas da VW usadas em outros modelos foram as rodas do Karmann Ghia, do SP2 e de alguns outros modelos.
Essas rodas aro 16 mesmo eu não conhecia.
Deem uma conferida que o material é bom.
Veja:

 

domingo, 21 de agosto de 2016

Encontro de antigos no Pátio Cianê, Sorocaba - Agosto de 2016

Com o passar do tempo eu aprendi muita coisa, nos últimos anos eu pude absorver um grande conhecimento que por maior que ele possa parecer para mim, é muito pequeno perto daquilo que pretendo conquistar. Eu aprendo muito toda vez que tenho a oportunidade de ter um dia como esse. Por mais simpáticas que as palavras combinadas nesse post possam parecer, elas nunca irão se equiparar com o grau de satisfação que tenho todas as vezes que vou a encontros como esses.
Durante a semana passada lembrei-me de um fato muito importante que aconteceria ainda em agosto: O terceiro domingo do mês. Todos os terceiros domingos do mês vocês sabem que ocorre um encontro denominado "Clássicos das ruas" no estacionamento aberto do Pátio Cianê, em Sorocaba, e sempre que posso estou por lá batendo um papo e tirando algumas fotos que acabam integrando o post especial do mês, que é esse.
Nos últimos dias da semana, uma coisa me chamou a atenção: O tempo não estava ajudando para um possível bom encontro no final de semana. Durante meu corrido dia a dia antes do encontro, notava que só havia frio e chuva ao meu redor. Embora eu ame esse clima, ele não é o mais propício para um encontro, ainda mais ao ar livre.
Pois bem, ontem o pessoal estava se perguntando nos grupos de Whatsapp se daria para encarar o encontro mesmo com uma negativa previsão do tempo. Eu estava disposto a ir independente das condições climáticas de hoje.
Ao acordar hoje cedo, abri a persiana da sala e deparei-me com um tempo fechado e muitas pessoas no Whatsapp dizendo que não iriam, inclusive uma galera aqui de Pilar do Sul que pretendia vir logo cedo (O Pedro, do Fusca 1968 e alguns outros amigos), mas mesmo assim não me desanimei.
Ao chegar ao Cianê, deparei-me com poucos carros devido ao horário e ao tempo:

Passados poucos minutos, a galera que encarou expor seus clássicos a uma possível chuva chegou e começou a marcar presença no evento.





Como sempre a galera dos Opalas muito assídua e receptiva.

Se você já acessa o blog há algum tempo, com certeza já conhece esse Fusquinha. É o Fusca 1965 do David, um clássico totalmente restaurado e cheio de acessórios. Hoje eu pude ver com maiores detalhes o parabrisa e o vidro traseiro no estilo "sáfari" que fotografei no encontro passado. A cada dia esse carro está ficando mais caprichado.




Você conhecerá Variant daqui a algumas fotos.









Esse Fusca Verde Caribe também já apareceu aqui no blog outras vezes. Hoje infelizmente eu não consegui conversar com o seu dono. É mais um exemplar que prestigiou o encontro.





Visão da frente do evento.








A TL cheia de personalidade apareceu novamente.




Dois ícones da indústria automobilística nacional juntos em uma única imagem.



 


Essa Variant 1972 1600 Azul Diamante que aparece nas fotos pertence ao Wagner, que também é dono de uma Puma famosa por aí. Ele é dono desse carro há alguns meses, mas eu só tive a oportunidade de conhecer o exemplar no encontro de hoje. Como eu já disse aqui algumas vezes, a Variant foi um carro com uma proposta muito a frente de seu tempo, e toda vez que tenho a oportunidade de ver um carro desses isso fica evidente.
O Wagner é muito cuidadoso com os seus carros, este ainda que há pouco tempo nas suas mãos, é muito íntegro e está muito próximo dos objetivos dele. Hoje eu e ele batemos um papo sobre os clássicos e com certeza isso foi muito sadio e produtivo. 



O Wagner me atentou a esse detalhe que ele incrementou em sua Variant, ainda que esta pequena lanterna funcione como um break light (ainda que abaixo do parachoque), segue o padrão da galera que adiciona uma luz de neblina traseira nos seus Fuscas e derivados. O formato da lente já evidencia que esse é um carro de muita personalidade.

Outro acessório bacana instalado no carro são essas persianas no vidro traseiro.

Infelizmente não fotografei o interior do carro, mas não faltarão oportunidades.

Quero deixar aqui o meu agradecimento ao Wagner por permitir, mais uma vez, que seu clássico fosse fotografado para a galera aqui apreciar. É de amizades como essa que o mundo antigomobilista precisa.
Como estava muito frio e a hora já havia passado, resolvi ir embora, o curioso é que o sol apareceu "de mansinho" na hora da minha partida.
Se o seu carro aparecer nas fotos, nos conte!


Essas foram aproximadamente 50 fotos que eu tirei do evento hoje, ainda que o tempo não ajudasse. Mais uma vez reitero meus agradecimentos e a minha admiração pela capacidade que o pessoal que prestigia o evento tem de mesclar os estilos e tendências existentes no mundo do antigomobilismo, com o maior respeito possível entre as divergências de opinião entre os donos dos clássicos.
Mais uma vez, muito obrigado!