terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Fusca 1975 do Davi: Um carro que atravessou gerações

Com certeza esse é um tipo de post muito prazeroso de se fazer, visto que é mais uma história entre milhares que contam com um Fusca como um dos protagonista. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog basta ter uma conta do Google, coisa que todos tem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecê-lo.
Há poucos dias atrás eu tive o privilégio de escrever o post "Um retrato do passado", onde apareceu uma foto muito bacana da família da Vanessa Pereira. Aquela imagem que, aparentemente, foi tirada no final dos anos 70 ou nos anos 80 evidenciava o quanto um carro era importante para as famílias, principalmente quando aquele bem era fruto de tanto trabalho. Felizmente, os Fusquinhas nunca decepcionavam seus donos, trazendo sempre a alegria do passeio dos adultos em um sentimento de realização e, simultaneamente, um sentimento de alegria e entusiasmo das crianças ao passearem no chiqueirinho.
A história que compõe o post de hoje é relativamente parecida com tudo aquilo que foi dito no post de dias atrás. É mais um carro que, pela sua permanência e idas e voltas no seu histórico, tornou-se membro da família e hoje é uma das maiores fontes de divertimento de seu proprietário.
Esse simpático Fusca 1975 que aparece nas fotos pertence ao Davi Rios. Eu já vejo o trabalho do Davi há bastante tempo nas redes sociais e no Youtube, mas todas as vezes em que brevemente conversamos nunca foi possível amadurecer a ideia de mostrar o seu clássico aqui no blog. Pois bem, esse dia chegou. E junto dele, vem uma história muito bacana que é carregada pelo Fusquinha.
O Fusca do Davi Rios é um 1300L ano 1975. Ele foi tirado zero quilômetro por um tio dele que, na verdade, pretendia comprar um Fusca 1600S, o Bizorrão. No entanto, como a vida da gente dá muitas voltas, esse 1300L acabou adentrando ao destino de seu tio e ele acabou adquirindo-o. Com o passar dos anos e do uso do Fusca, aconteceu um episódio um pouco complicado, que foi uma colisão com uma Brasília (afinal, boa parte da frota era VW naquela época) em meados da década de 90, causando vários danos ao carrinho, Na recuperação do carro, o clássico foi seguindo as tendências de época, retirando os frisos e até tirando as janelas laterais basculantes. Conforme o tempo foi passando, seu tio foi ganhando idade e infelizmente adoeceu. Nessa época, Davi e seu pai já cuidavam do carro.
Nessa história toda, o Fusca foi passado para a sua madrinha, essa simpática senhora que aparece na foto na frente do Fusca. No entanto, ela não se adaptou com o carrinho e o mesmo foi para as mãos do Davi. Com ele cuidando do carro, várias modificações apareceram, como um escapamento dimensionado, freios a disco e uma suspensão com catraca. Conforme o tempo foi passando, ele resolveu levantar o carro novamente, de modo que ele ficasse mais confortável e trafegasse com menos dificuldade em locais com asfalto ruim ou até mesmo não pavimentados. Agora a ideia é continuar fazendo upgrades no carro, como a troca dos bancos e o motor que passará a ser 1600. Com certeza esse carro aparecerá mais vezes aqui no blog conforme as coisas vão acontecendo.
O Davi tem um canal do Youtube que a partir de hoje tem seu link na área dos parceiros. Não deixe de prestigiá-lo e deixar a sua inscrição.
As fotos são um mesclado de passado e presente, mostrando todo o histórico do carro.
Veja:






Quero agradecer o Davi por enviar as fotos!
Quer ver seu carro aqui no blog? Me mande um e-mail.



segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Funcionamento de uma dupla carburação SU em um motor VW a ar

Ultimamente estão aparecendo muitos vídeos de carburadores refinados por aqui, acredito que eu esteja dando sorte em achar tudo isso. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um novo post todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Clicando neles e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo mais pessoas conheçam todo o conteúdo que aparece por aqui.
Se eu agrupasse todos os posts que esse blog tem falando de carburação, com certeza este aqui estaria dentro dessa relação de conteúdos. Quando nós enxergamos um motor por completo, compreendendo todo o seu funcionamento, nós conseguimos dar a devida importância que o sistema de alimentação merece. Por esse motivo, hoje esse post vem mostrar mais uma alternativa que você tem para fazer com que o seu motor VW a ar funcione da melhor maneira possível.
Qual carburador se deve escolher para a melhor relação consumo x desempenho? Essa pergunta é muito relativa e a resposta que muitas vezes melhor se encaixa diante da indagação é "depende". É por isso que o momento que você decide qual carburação usar no teu clássico é super importante. Esse post e os demais estão aqui para te dar pequenos parâmetros para que você possa fazer a melhor escolha.
O vídeo que aparece ao final do post vem lá do canal do Youtube do "Rudi VW 77". Neste vídeo ele mostra algo que é bastante incomum em um VW a ar: Uma dupla carburação de venturi variável com carburadores SU. Há algum tempo atrás, eu escrevi um post falando sobre a carburação de venturi variável no Fusca, falando de seu funcionamento, regulagens e das inúmeras vantagens desse sistema tão refinado. Naquela ocasião, eu trouxe um vídeo do Tonella que mostrava seu carburador em detalhes e também o resultado em um motor 1300. Se você busca mais informações sobre o conceito do carburador de venturi variável, com certeza aquele post trará mais instruções.
A forma de funcionamento de um carburador de venturi variável é simples. Resumidamente, é um carburador que conta com um pistão que atua conforme a sua aceleração. Este pistão é montado de maneira oposta ao percurso do ar até o coletor de admissão, ou seja: Se o carburador opera na vertical (como na maioria dos motores), o pistão estará trabalhando na horizontal restringindo ou permitindo a passagem do ar. Desta maneira, a velocidade e o vácuo no coletor de admissão mantém-se praticamente constantes, ajudando no consumo e no desempenho. Com um sistema desses, é praticamente impossível ter falta de combustível em alguma faixa de rotação em específico. Um carro aqui no Brasil que teve carburador de venturi variável foi o Dodge Polara.
Nesse vídeo, a aplicação é um pouco diferente daquele outro post, visto que agora existem dois carburadores alimentando o motor. Como vocês podem notar, o acionamento ficou um pouco diferente em relação ao original: Este conta com cabos para acionar os carburadores, ao invés das varetas utilizadas nos carburadores Solex ou nos varões dos carburadores Weber e de alguns EMPI. Acredito eu até que esses carburadores contem com uma facilidade maior no momento da equalização, visto que com esse sistema se tem somente o parafuso da marcha lenta, geralmente. Os coletores usados são os originais, conforme alguns comentários do vídeo. No entanto, dependendo do carburador de venturi variável que você pretende escolher para uma aplicação dessas, os coletores podem exigir algum retrabalho, visto que geralmente as borboletas desses carburadores são maiores. Uma alternativa nesses casos, ao meu ver, poderia ser coletores de carburadores de corpo simples com borboletas maiores, como os coletores para Solex 40 ou até mesmo de algumas injeções de corpo duplo, por exemplo.
Ao meu ver, um carburador desses em um VW a ar é mais do que suficiente, mas o resultado nesse carro ficou fantástico. Essa montagem pode ser feita, por exemplo, em um motor plano e deve ficar demais.
A Brasília é um show a parte.
Veja:


domingo, 19 de fevereiro de 2017

Encontro de antigos no Pátio Cianê, Sorocaba - Fevereiro de 2017

Com certeza esse foi um encontro em que eu fiz realmente tudo o que podia para ir em virtude da correria. Mas valeu a pena. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Clicando neles, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas conheçam o conteúdo que é postado aqui.
Pois bem, hoje é dia 19 de fevereiro de 2017, o terceiro domingo do mês. Para quem já acessa o blog essa informação já é conhecida, mas se você está aqui pela primeira vez (seja bem vindo!!) eu irei repeti-la: Todo terceiro domingo do mês já se tornou "de lei" o meu passeio pelo Encontro de antigos que acontece no Pátio Cianê em Sorocaba. Este evento é um dos diversos eventos que acontecem na região que cultivam a cultura do antigomobilismo, mas com um detalhe de suma importância: O encontro é muito vasto, o que permite que todos aqueles que admiram o verdadeiro antigomobilismo consigam vislumbrar os clássicos das mais diversas marcas e estilos.
Neste domingo, ao contrário da grande maioria das vezes que eu vou a esse evento, acordei mais cedo em virtude da mudança do horário. Isso, de certa forma, foi bom visto que eu pude acompanhar a chegada de boa parte dos carros, vendo as novidades e admirando por mais uma vez os carros dos amigos que sempre estão por lá.
Ao chegar no evento, ainda haviam poucos carros e os organizadores (já falaremos deles) ainda estavam ajustando os últimos detalhes para que essa edição fosse tão bacana quanto as demais. Com o passar das horas, o estacionamento descoberto do Shopping ficou lotado de clássicos de todas as épocas, dando um efeito colorido praticamente inexistente no trânsito atual.
A grande realidade é que nessa edição eu poderia ter tirado mais fotos, mas acabei conversando com bastante gente e alguns clássicos acabam escapando da lente da minha câmera. A claridade no início do evento também estava bem forte, o que também complicou na hora de fotografar. Mas independente desse pequeno contratempo (se é que pode ser chamado assim), aí estão todas as fotos tiradas exatamente na ordem, como sempre faço.
Veja:

O evento que acontece no Pátio Cianê é organizado pelo Opala Clube de Sorocaba. Eu fiz questão de fotografar esse banner em virtude de uma atitude muito nobre desse clube: Entre as fotos que formam a arte, estão fotos de diversos clássicos de várias marcas, e não somente do lendário GM que é a paixão de todos os membros. Essa é uma verdadeira prova de que ainda existe muita gente de bem que admira o antigomobilismo e que busca sempre a diversidade nesse meio tão mágico. Fica aqui mais uma vez os meus parabéns ao Opala Clube de Sorocaba que consiste em uma galera muito disposta a difundir a diversidade em eventos de antigomobilismo.













Este é um Fusca que eu não conheço o dono, mas o achei super íntegro e muito conservado. Ainda que a minha paixão esteja nos Fuscas dos anos 50 até o início dos anos 70, esse exemplar me agradou muito.









O MP Lafer estava novamente prestigiando o evento.







O simpático Fusquinha 1200 do projeto "De Miliduke por aí" que viajou até Natal estava novamente prestigiando o evento.



































O Carlos, amigo que nós já conhecemos de algum tempo, proprietário do Fusca 1967 que abrilhantou o post de número 400 desse blog, estava no evento expondo, mais uma vez, seu belíssimo Fusca 1973.



Fusca do Roberval, que nós já conhecemos por aqui de longa data.







Fusca 1968 do André, que já apareceu por aqui na edição do mês passado.



Com certeza essa edição foi super produtiva. Sempre conhecendo novos amigos, tendo acesso a novas informações, admirando belos carros e claro, colhendo conteúdos para formar esse post que você está lendo (obrigado por acompanhar até agora). Se Deus quiser, no mês que vem estarei lá novamente.
Muito obrigado a todos que tornam esse evento possível!