sábado, 29 de julho de 2017

Conhecendo o distribuidor da CB Performance e ajustando a curva de avanço

Em quase todos os posts desse blog eu sempre gosto de mostrar a diversidade que circunda o mundo do antigomobilismo. Além dos diversos estilos existentes entre os carros clássicos, com certeza há uma outra diversidade que nós precisamos parar e observar por valer e tanto a pena: O das peças. Hoje vocês verão em vários detalhes uma peça de alto requinte e, cá para nós, de alto custo, mas que traz um resultado muito positivo para quem busca uma perfeita curva de avanço de ignição do motor. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar.
Há alguns meses atras eu escrevi aqui no blog um post que tratava sobre a limitação da curva de avanço do distribuidor original do Fusca. Naquela ocasião, eu trouxe para o blog dois vídeos que mostravam a limitação do curso dos contrapesos internos do distribuidor da Bosch tanto na configuração a platinado como de ignição eletrônica. Se você não sabe exatamente no que consiste a curva de avanço em um motor, esse post é recomendado para que você possa ter uma melhor compreensão do assunto. Mas, de forma resumida, a curva de avanço de um motor é o "range" ou intervalo em graus que um motor avança o ponto conforme se aumenta a rotação. Isso é pré estabelecido pelo projeto do distribuidor e para que a curva de avanço seja a melhor possível para o motor. No entanto, muitos dos Fusquinhas que hoje rodam pelo nosso Brasil já tiveram seus distribuidores trocados por inúmeros motivos e as peças substituintes não traziam a curva de avanço necessária. Essa diferença no ponto em altas rotações implica em um funcionamento irregular do motor e pode até causar a famosa "batida de pino" em motores que tenham taxas de compressão mais altas. Por esse motivo, muitas vezes é bastante interessante se fazer o ajuste (limitação) da curva de avanço para que o ponto não avance "além da conta" e gere todos os contratempos que citei anteriormente.
Em distribuidores do modelo original esse ajuste não é difícil de ser feito, mas a precisão do serviço nem sempre é alta em virtude de não termos alguns parâmetros que hoje estarão listados nos vídeos que aparecem ao final do post. Como mostrado no post que citei anteriormente, a limitação da curva de avanço é feita dobrando um pouco as pequenas hastes que controlam o curso dos contrapesos do distribuidor. Dobrando-as levemente, os contrapesos atuam em uma distância menor em relação ao seu curso original e, em virtude disso, limitando o avanço.
Os vídeos que aparecem ao final do post vem lá do canal do Tonella. Todas as vezes que eu posto algum conteúdo dele eu falo isso mas sempre gosto de ressaltar. É um Youtuber que cresceu muito por seus méritos e pela qualidade do seu trabalho. Além disso, é um cara muito simpático, humilde e muito didático. Desta vez, ele apresenta em seu canal o distribuidor CB Performance que irá equipar o Fuskatia, o Fusca de sua esposa. Como esse carro ganhará em breve um novo motor, os ajustes do distribuidor (sabiamente) foram feitos anteriormente de modo que não houvesse mais um parâmetro a ser levado em consideração com todo o conjunto novo. Nessas alturas do campeonato você pode estar se perguntando o que esse distribuidor tem de diferente em relação ao original: Pois bem, ele é um distribuidor de ignição eletrônica (com um sistema próprio e circuito integrado dentro do corpo do distribuidor) e permite que seja ajustada a curva de avanço em seu range e também em sua velocidade. Ou seja, você consegue ajustar quanto de avanço você quer e em qual velocidade o distribuidor irá adiantar o ponto em virtude do aumento de rotação. Na série de vídeos, são discutidos os parâmetros, feitos os testes com as diferentes configurações de buchas (que determinam o range entre o ponto inicial e final) e das molas (que determinam a velocidade do avanço). Assim, consegue-se uma perfeita curva de avanço para a necessidade do motor.
É válido ressaltar que você precisa ter vários parâmetros para a aplicação e uso correto desse distribuidor: Além de seu carro estar 100% regulado, você precisa ter em mente mais ou menos os valores ideais para o ponto inicial e para o ponto final (avanço total) da ignição. Não é uma peça barata, mas sem dúvidas pode ser levada em consideração como um investimento interessante em motores que são montados na busca da melhor eficiência e rendimento.
Veja:






3 comentários:

  1. Esse Fuskátia anda que é uma beleza.

    Mas enfim... esses números de avanço em graus seriam específicos para esse motor, se fosse um motor original, será que esses números seriam menores???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para se achar a curva de avanço ideal é bastante importante levar em consideração vários parâmetros do motor, como a taxa de compressão (se o motor é muito taxado, pode bater pino com pontos muito adiantados, principalmente em altas rotações), o comando que se usa (as vezes o ponto precisa ser muito adiantado para que, eventualmente, tente ajudar a "cobrir" algum "buraco" no rendimento em baixas rotações, tornando a curva ainda mais limitada), qual é a carburação que se usa e alguns outros fatores. Mas, tratando de uma forma genérica, creio eu que se partindo de 15 graus e finalizando-se com 30 graus com um avanço "ligeiro" já é possível ter um resultado bastante positivo. Motores com taxas mais baixas eventualmente toleram curvas maiores, mas isso não significa um aumento de desempenho, geralmente.
      E esse Fuskatia anda demais! hehehe

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!