segunda-feira, 15 de maio de 2017

O resultado prático da injeção eletrônica da Kombi montada no Fusca

Há alguns meses atrás eu tive o grande privilégio de escrever um post que mostrava o resultado da injeção eletrônica da Kombi montada em um Fusca e fiquei muito contente ao ver que esse post tornou-se o mais visualizado de toda a história do blog, com quase 7.000 acessos. Por esse motivo, trago hoje para vocês um vídeo que complementa o conteúdo daquela ocasião com muito estilo. Se você já está me dando a honra da visita, não deixe de dar aquele like bacana na página do Facebook e de seguir o blog também. Desta maneira, você fica sabendo de tudo o que rola aqui no blog, visto que sempre há um post novo todos os dias. Os botões de curtir e seguir estão aqui a sua direita, bem rápidos e fáceis. Para seguir o blog é necessária apenas uma conta do Google, coisa que todo mundo tem hoje em dia. Além disso, a sua direita também há um botão para que você possa se inscrever em meu canal do Youtube, onde muitas novidades aparecerão em um futuro muito breve para somar com alguns vídeos que lá já existem. Clicando nesses botões e dando essa forcinha, você está prestigiando o blog de uma das melhores maneiras possíveis para que ele continue crescendo e mais pessoas possam conhecer todo o conteúdo que é postado aqui para todos aqueles que, assim como eu, são apaixonados pelo fantástico mundo do antigomobilismo com admiração pelo incrível universo dos Volkswagen refrigerados a ar. 
Nesses pouco mais de cinco anos de blog existem algumas coisas que eu sempre gosto de frisar. Uma delas é a versatilidade do conjunto mecânico, visto que a Volkswagen conseguiu manter por várias décadas o mesmo motor de concepção antiga mas super funcional com apenas algumas melhorias e toques de modernidade.
Ainda que vocês saibam que eu seja bastante conservador com modificações, algo que eu vejo como muito válido e considero o ápice das melhorias nos motores VW boxer foi a chegada da injeção eletrônica multiponto. No finalzinho dos anos 90, a Volkswagen implementou nas Kombis a injeção eletrônica, o que fez com que as velhas senhoras ganhassem um pouco de rendimento. A grande realidade é que todos os antigomobilistas adoram os carburadores (inclusive eu), mas é impossível não aprovar o resultado de uma injeção bem instalada.
O vídeo que vocês veem ao final do post vem lá do canal do Maikfil lá no Youtube. Nele, ele mostra o resultado que ele conseguiu em seu Fusca instalando a injeção eletrônica das Kombis dos anos 2000 em seu Fusca. O bacana é que o motor dele não tem muitas modificações e, por esse motivo, são mais do que perceptíveis as melhorias. Para mim, um desempenho desses é mais do que suficiente num Fusca. Ainda que a injeção da Kombi tenha lá as suas limitações e envolva um certo trabalho (no sentido de tempo e não de alta complexidade) para ser aplicada, é claro que um conjunto de corpo duplo (como o Fusca do Wallace que eu mostrei aqui há um bom tempo atrás) por exemplo pode fazer com que o carro ande mais, mas ao meu ver esse desempenho é mais do que satisfatório.
Dá para ver o capricho no serviço e em todo o processo de restauração desse Fusca, que por sinal está muito bonito. Uma coisa que me agradou bastante foi o velocímetro do Fusca mexicano, peça que, ao meu ver, é muito refinada.
Veja:



4 comentários:

  1. Muito investimento , sou mais um carburador variável , sai mais conta do que essa injeção que usa ainda uma borboleta, mais vai do gosto, pena que no Brasil peças da empi são muito cara...mais o fusca ficou show com os acabamento parabéns...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também curto bastante os carburadores de venturi variável. Como disse no post, eu sou um grande admirador de carburadores e os de venturi variável juntamente com todas as configurações de dupla me agradam pra caramba. As injeções de corpo duplo são interessantes também, ainda que muito caras aqui no Brasil. Obrigado pelo comentário!

      Excluir
    2. Inclusive eu vi um carburador de venturi variável que era até mais simples de regular que o original do Fusca, pois nesse parece que só tem que regular a abertura da "borboleta".

      Excluir
    3. Sim. Aliás, para mim essa é uma das melhores virtudes de um carburador de venturi variável é a facilidade do seu acerto.

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo!