segunda-feira, 21 de março de 2016

Encontro de antigos no Pátio Cianê, Sorocaba - 20/03/2016

No final do mês de fevereiro, como vocês viram, eu estive no 1º Encontro de Antigos no Pátio Cianê, aqui em Sorocaba. Tirei fotos, conversei com proprietários de antigos, andei no evento, conheci novas pessoas e apreciei uma vasta diversidade de carros presentes no evento. Três semanas depois, lá estava eu novamente tirando todas as fotos para fazer um post especial aqui no blog. Como o sol estava de rachar no estacionamento do Shopping, o dia estava muito propício para que saíssem fotos maravilhosas.
Desta vez o encontro tinha mais carros em relação ao evento anterior. A galera dos Opalas marcou presença com uma grande quantidade de Opalas e Caravans de todas as épocas, além da galera dos GM mais novos, como Omega, Kadett e outros. A galera dos Ford marcou presença com as caminhonetes, Corcel, Belina, e muitos Mavericks e Galaxies, mostrando a força dos 302 V8 em grande presença no encontro. A galera dos Fiat 147 também estava por lá mostrando belos carros da linha, na grande maioria com placas pretas.
Já a galera dos VW a ar, como sempre estava tomando uma boa parte do estacionamento (algo como a metade ou quase a metade), forrando aquele local que em seu cotidiano só é ocupado por carros "comuns" como os de hoje. Como no evento anterior, temos carros muito bacanas a serem mostrados.













Este Caprice estava no evento, juntamente com alguns outros exemplares, representando a engenharia americana. E como todo carro americano, bela barca!



Este belo MP Lafer estava em meio aos Opalas, também representando as demais montadoras/indústrias que utilizavam a simples, durável e engenhosa mecânica VW a ar nos seus produtos. Este, com certeza marcou época.


Este Fusca 1967 já apareceu no outro encontro, ele pertence ao Sr. Moisés. Eu não cheguei a conversar com ele ontem, mas o carro estava muito bonito e com a pintura brilhando bastante.











Este 1970, primeira série pertence ao Giba, que estava no encontro anterior com o seu 1973 Ocre Marajó, ele e mais outros amigos no encontro pertencem a Turma do Paço, uma galera muito unida nos encontros e com carros muito bacanas. Este (dos vários carros que ele tem) 1970 em especial foi comprado por ele há pouco tempo e a pretensão dele é restaurá-lo por completo. E, diga-se de passagem, ele comprou esse carro por um preço bem convidativo.





Assim como no encontro passado, o belíssimo Fusca 1200 1966 do Roberto estava novamente prestigiando o evento, juntamente com outros carros com um alto nível de originalidade.





Esta Kombi 1970 pertence ao Leo, também da Turma do Paço. Esse carro recebeu uma nova pintura e um trabalho na tapeçaria para que esta voltasse ao padrão original. É um carro com um alto padrão de originalidade e também porta placas pretas, colocadas por ele na época da compra. 





Esse Fusca 1965 é do David. Eu o conheci no encontro passado, mas conversei tanto que me esqueci de tirar as fotos. Esse carro foi feito do zero, totalmente restaurado. O motor é 1300 e ele utiliza uma suspensão de catraca na dianteira, afim de deixá-lo com a frente mais baixa.














 

Este 1973 pertence ao Pedrinho. No encontro passado, eu procurei o dono desse Fusca e não encontrei. Desta vez, por intermédio do Zeca (dono da BMW que apareceu em ambos os encontros) eu conheci o Pedrinho. Este Fusca tem o interior original, mas segue o estilo German Look, tem um motor 1700, com duas solex 40 e um comando W130, além de radiador de óleo externo, bomba de óleo de circulação, escapamento 4x2 com dois abafadores e tudo mais. No externo ele tem um Ragtop (feito na própria Ragtop), faróis auxiliares, rodas de Porsche e outros acessórios. Seu próximo upgrade será o freio a disco na dianteira e também tem a pretensão de substituir a carburação por uma injeção Fueltech.
















Esse belo 1969 bege pertence ao Leonardo. Quando cheguei para conversar com ele e comentar sobre este post que escrevo agora, ele me atendeu prontamente me autorizando a fotografar o carro à vontade. Ele me disse que comprou esse Fusquinha tem pouco mais de um mês e tem a ideia de restaurá-lo aos poucos, buscando a originalidade.










Este Fusca Azul Diamante eu encontrei junto ao irmão do dono, que se chama Gerson, que não sabia me dizer o ano. Procurando pelo Sinesp, vi que se trata de um 1966 com peças de modelos mais novos. É um carro muito bem conservado, com uma identidade única por ser diferente.



Essas foram as 78 fotos que tirei do evento. Quero agradecer a todos que permitiram que seus carros fossem postados por aqui, e, com certeza em abril estaremos por lá!

2 comentários:

Seu comentário é muito bem vindo!